De acordo com o site Segs, o número de empresas do setor jurídico prestando serviços com um alto componente tecnológico, as chamadas “legaltechs”, cresceu 300% no espaço de apenas dois anos. Seriam agora cerca de 150 empresas nesse segmento do mercado do Direito.

O Direito analógico

O mesmo artigo do Segs aponta que estarão nesse momento, em tramitação em todo o sistema jurídico brasileiro, cerca de 80 milhões de processos. Sendo a Justiça um elemento essencial para o bom funcionamento de uma sociedade – ao nível econômico, político, cívico e também moral e psicológico – é fundamental resolver essa situação. Independente de convicções ideológicas ou opiniões políticas.

O Direito praticado atualmente ainda é, em grande parte, analógico. Advogados e especialistas precisam fazer todo o trabalho burocrático de base à mão. O preenchimento de formulários, a entrega de petições e outros documentos, tudo isso é levado em conta e contribui para atrasar os procedimentos.

O Direito digital

Não existe motivo para que a advocacia, a Justiça e o Direito não adotem as tecnologias de programação informática (o computador, os softwares especializados e a internet) para acelerar seu expediente. Esses são os serviços que as “legaltechs” vêm trazer.

Previdenciarista

O Segs entrevistou Renan Oliveira, um dos fundadores da Previdenciarista, uma das novas empresas atuando nesse setor. Alguns dos serviços prestados pela plataforma informática da empresa são:

  • disponibilizar cadastro dos clientes com procuração
  • geração de contratos de honorários
  • envio de documentos do cliente para um arquivo na nuvem
  • calcular os benefícios previdenciários dos clientes

Renan Oliveira acrescenta que a possibilidade de automatizar tarefas dos advogados é imensa. Face à crescente complexidade dos processos, a adoção da tecnologia é uma solução de otimização óbvia. Também os tribunais já estão adotando a informática, segundo Renan Oliveira, inclusive com o uso de inteligência artificial. “Os advogados não podem ficar para trás”, conclui o empresário.